Como ter times de alta performance no seu escritório de advocacia

Team building são metodologias e técnicas utilizadas em gestão de pessoas para construir equipes de alto desempenho, afetividade e impacto. O processo envolve, além de cursos e mentorias, práticas individualizadas e focadas em comportamento, com vistas a englobar o desempenho e o desenvolvimento do colaborador como um todo.

Um time dos sonhos de advogados

Na advocacia, o sucesso de um escritório está atrelado ao desempenho da banca em orquestrar pessoas, processos e ferramentas para manejar a legislação de modo a gerar muito valor a seus clientes. A pressão dos concorrentes exige que equipes e organizações sejam produtivas. A produtividade é quantificada diariamente através de metas estabelecidas e objetivos atingidos, a performance da equipe tem se tornado determinante parar gerar resultados sustentáveis. Por isso, o conceito de team building tem ganhado a gestão de pessoas nos escritórios de advocacia.

A ideia de team building é simples: são ações que visam construir uma equipe de alto desempenho, afetividade e impacto. Até aí, nada de novo. Isso se faz em organizações desde sempre. basta pensarmos nas mentorias, cursos e demais especializações – já habituais no ambiente organizacional. Só que o team building vai um pouco além. Pois, para levar a resultados, apela a táticas bastante individualizadas e voltadas a atingir o comportamento.

No team building são desenvolvidos o espírito de equipe, a comunicação, o planejamento, a organização, a liderança, o desempenho, a excelência e o relacionamento intra e interpessoal, através de exercícios, simulações complexas de problemas, jogos de negócio, dinâmicas em grupo e retiros.

Agora, se por um lado, tudo isso faz muito sentido para qualquer leitor, por outro trilhar o caminho do team building não é tão simples. Até porque, se fosse, todos seguiriam pra ele e tirariam grandes proveitos – o que não é o caso. Muito pelo contrário, eu diria. Ações de team building, não raro, não surtem os efeitos esperados, sendo um investimento inócuo.

Por isso, reunimos 6 pontos a considerar para começar o team building na advocacia.

  1. Busque a diversidade no team building: equipes heterogêneas inovam

A Nubank, tem apenas 7 anos, mas já é considerada um decacórnio. Esse sucesso meteórico tem várias explicações, mas uma delas é a quebra de paradigmas consolidados no mercado financeiro. Como o dos times.

Na fintech a formação dos times é extremamente diversa. De seus 1.600 profissionais, de 25 nacionalidades, 30% são LGBTQI+. David Vélez, um dos CEOs da empresa, não tem dúvidas de que a diversidade no team building tem impactos positivos:

” A diversidade é a chave da inovação. Você não consegue inovar com uma equipe só de homens, em que todo mundo fez a mesma faculdade e se veste igual. “

E ele não está sozinho. Estudo da McKinsey mostra que organizações com maiores índices de diversidade tem até 33% mais chances de lucrar acima das médias das outras.

Agora, vamos para o universo da advocacia e dos escritórios. Fazemos a mesma faculdade, nos vestimos igualmente. E mais: somos impactados por dados como o de que, em todo o Brasil, há apenas 1% de negros em escritórios de advocacia ou de que, embora mais numerosas em escritórios, as mulheres ainda enfrentam dificuldades de chegar à liderança.

Tudo bem, você não é responsável por tais problemas, individualmente. Mas, à luz do que vimos, você certamente é afetado por eles. Menos diversos, os escritórios perdem em inovação, criatividade e desenvolvimento. E se o cenário é geral, perceber isso e, com pioneirismo, fazer o que os outros não fazem, pode ser um diferencial do seu escritório.

Então, o team building começa na contratação. Para aproveitar todo o repertório de conhecimentos advindos das mais distintas vivências, o processo seletivo tem que ser sem preconceitos, transparente e baseado em competências. Mas, após a contratação, o team building continua. É o que veremos no segundo ponto.

  1. Construa um ambiente de trabalho seguro

Que um bom ambiente de trabalho é importante para o funcionamento de qualquer empresa, você já sabe, mas o que se encaixa nessa definição?

Em resumo, a primeira noção que se deve ter em mente é que um local de trabalho saudável é aquele que contribui para que os seus colaboradores deem o seu melhor e consigam produzir e alcançar bons resultados.

Mas, muito mais do que sofás para descanso, cadeiras ergonômicas, decoração lúdica e estimulante e bons equipamentos, um ambiente de trabalho ideal deve se adequar aos colaboradores que você tem, Ou seja, cada equipe demanda um local diferente para produzir mais e se desenvolver profissionalmente.

Por isso, a segurança no ambiente de trabalho é fator determinante do team building. O que isso significa para o colaborador? Várias coisas.

Em primeiro lugar, que ele tem um plano de benefícios assegurado e inquestionável. Depois, que ele tem as condições e ferramentas adequadas para realizar suas atividades e, ainda, que terá espaço para exercê-la com autonomia e respeito. E ainda, que ele é ouvido, reconhecido pelos seus resultados e poderá vislumbrar oportunidades futuras na carreira.

Tudo isso, além de ser fonte de uma segurança objetiva, oferece acolhimento emocional e bem-estar. Mas, além disso, seus processos tem que ser simples.

  1. Tenha uma gestão de processos simples

Por que a gestão de processos tem a ver com o team building? Pois, quanto mais burocrática e complexa, mais chance de não ser seguida. E, se uma etapa foi quebrada uma vez, a probabilidade de ela voltar a ser quebrada é maior ainda. E se você sabe o que isso acarreta: erros, ineficiência e desmotivação. Por isso, sim, os processos de uma organização são determinantes para o rendimento do time.

Hoje, nenhuma organização pode prescindir de realizar esforços para aprimorar seu desempenho operacional. Na advocacia de gestão para escritórios, como o AJUS, levam a simplicidade e a eficiência operacionais a patamares inimagináveis tempos atrás.

Por exemplo, só com um software jurídico como o AJUS o retorno do investimento em produtividade gira em torno de 20 horas de trabalho a menos por mês para cada colaborador.

Há, ainda, outras ferramentas para simplificar a gestão do escritório de advocacia. Metodologias ágeis, estruturadas num planejamento estratégico, são ações que podem gerar alto impacto em produtividade e efetividade no time, com baixo custo de implementação.

  1. Dê um propósito para o trabalho do time

Encontrar um propósito na vida é algo que nos faz sentir mais engajados de forma geral. Afinal, o propósito atribui um sentido à nossa rotina e nos dá um motivo para seguirmos em frente.

O propósito, no entanto, não precisa ser nada grandioso. Tampouco, estar relacionado à ambição de mudar todo o mundo. No entrando, precisa fazer sentido em nosso mundo. Assim, ele passa a funcionar como direcionamento para nossas decisões e nossa jornada.

Dito isso, toda organização nasce – e cresce – para realizar um propósito. No começo, ele está bastante atrelado às motivações de seus fundadores, aos sonhos que essa sociedade quer realizar.

Justamente por isso, o propósito difere da missão, da visão e dos valores. Ou melhor, ele sintetiza o que separamos nesses termos dentro da identidade organizacional. Então, envolve a proposta de valor, a visão de futuro e os meios pelos quais a empresa vai realizá-los.

Em suma, o propósito é a assertiva que responde a seguinte pergunta: por que eu ofereço meu serviço às pessoas? A resposta a elas não pode ser lucro ou sustentabilidade apenas, certo? Há um valor maior – e ele normalmente é intangível – envolvido nisso.

Por isso, o propósito tem a ver com a cultura da organização e com o legado que ela quer deixar para a sociedade em que se insere como um todo. Cada colaborador deve estar imbuído desse mesmo sentimento, e agir para realizá-lo.

Por isso, propósito, cultura e legado são fundamentais nas dinâmicas de team building. Mas quando se trata de realizar um propósito, não uma tarefa, a soma do todo é bem maior do que a das partes. E para isso, o escritório precisa de um time interrelacionado. Para ver o que isso significa.

  1. Tenha um time não um grupo de trabalho

Imagine o trabalho em uma linha fabril. Há muitos colaboradores, todos dividindo o mesmo espaço. Para que o produto saia perfeito no final, basta que cada um cumpra suas próprias tarefas: faça o seu, como dizemos, certo? Aliás, para isso, tais colaboradores sequer precisariam conversar entre si. Pois funcionam na base do comando-e-ação.

Em ambientes como esse, a soma das partes gera o todo. E se, por algum motivo, este não sai perfeito, então alguma parte errou. Isso significa que este time está conectado, mas não inter-relacionado. Em times inter-relacionados, como uma sociedade de advogados, a soma das partes não é igual ao todo. Este, na verdade, é maior que elas.

Um grande time, portanto, lida com a competitividade de maneira saudável, dialoga muito e opera na camaradagem mais ainda. Isso também significa atuar para além de suas meras responsabilidades. É preocupar-se com o sucesso dos demais e do que fazem. Há, portanto, um altruísmo inerente a todo o time. Mas também confiança. Isso é suposto de todos. É o que funda a organização.

Parece ótima toda essa química. Mas tenho uma má notícia. Skills de time não surgem do nada. Então entra o team building para tangibilizar o conceito de colaboração dentro da organização.

  1. Trabalhe a livre comunicação e a confiança

Informação pode ser uma arma ou uma moeda de troca, sobretudo quando se trata de usá-la dentro do trabalho. Todos sabem disso. Por isso, não é à toa que a confiança e a comunicação são os pontos mais difíceis de se desenvolver em um time. Mais: são uma espécie de teto de vidro de muitas estratégias de team building.

É muito fácil entender que elas são fundamentais. Não as ter dentro do escritório é um dos maiores fatores de perda de oportunidade. Por exemplo, quantos problemas surgem por falhas de comunicação? E quantas ideias simplesmente não surgem porque informações não são compartilhadas amplamente?

No entanto, não é tão fácil entender, objetivamente, por que elas melhoram os resultados de um time. Mais: não é fácil encontrar que tarefas específicas requerem esses ingredientes para trazer resultados.

De fato, trabalhar a confiança em ambientes inter-relacionados não é nada trivial. Por isso, o team building tem que estar fortemente atrelado a esse objetivo.

Team building

Como vimos, um team building é uma ferramenta de gestão de pessoas que envolve muitas variáveis para ter sucesso.

Mas quando elas são manejadas com maestria isso se reflete nos resultados.

Escritório de advocacia, 15 dias de teste gratuito. Depois, apenas R$59,99/mês por usuário.


. Cadastro ilimitado de processos;
. Cadastro automático de 100 processos pela OAB;
. Publicação para 1 OAB em todo o Brasil;
. Monitoramento de 50 processos por usuário*;
. Área do cliente para consulta de processos;
. Crie regras de andamentos;
. Automatize contratos, petições, procurações;
. Criei seus honorários;
. Controle despesas jurídicas e do escritório;
. Suporte telefônico ou via CHAT;
. Relatórios diversos;
Grátis por 15 dias

close-link

Advogado, 15 dias de teste gratuito. Depois, apenas R$29,99/mês por usuário.

. Cadastro ilimitado de processos;
. Cadastro automático de 100 processos pela OAB;
. Publicação para 1 OAB na UF de origem;
. Publicação Tribunais Superiores;
. Crie regras de andamentos;
. Crie contratos, petições e procurações;
. Crie honorários e despesas;
. Insira imagens e arquivos ilimitados;
. Acompanhe seus prazos na agenda;
. Crie boletos* dos principais bancos do Brasil;
. Suporte telefônico ou via CHAT;
. Relatórios financeiros diversos;
Grátis por 15 dias

close-link